Chula da Póvoa


Tal y como relataba Benedicto en la entrada anterior, "Historia da Nosa Señora da Guía", aquí está la versión que José Afonso realizó de la canción.

Chula da Póvoa

Em
Janeiro bebo o vinho
Em Fevereiro como o pão
Nem que chovam picaretas
Hás-de cair, Rei-Milhão

Adeus, cidade do Porto
Adeus muros de Custóias
Cantando à chuva e ao vento
Andei a enganar as horas

Tenho mais de mil amigos
Aqui não me sinto só
Cantarei ao desafio
Ninguém tenha de mim dó


Ó
meu Portugal formoso
Berço de latifundiários
Onde um primeiro ministro
Já manda a merda os operários

Já hoje muito maroto
Se diz revolucionário
E faz da bolsa do povo
Cofre-forte do bancário

Camaradas lá do Norte
Venham ao Sul passear
Cá nas nossas cooperativas
Há sempre mais um lugar

José Afonso

One response to this post.

  1. Posted by nieveazulada on 23 abril, 2007 at 19:35

    Realmente Gus estás haciendo un formidable trabajo en relación a este tema… en general, en todo lo que tratas aquí, en tu espacio, tu zamarra, es una fuente increible para descubrir siempre algo nuevo

Los comentarios están cerrados.

A %d blogueros les gusta esto: