Archive for 10 10+00:00 septiembre 10+00:00 2008

Vejam bem


Intentando despertar de la desidia, nada mejor:
 
Vejam bem
 

Vejam bem
que não há só gaivotas em terra

quando um homem se põe a pensar         
quando um homem se põe a pensar

Quem lá vem
dorme à noite ao relento na areia
dorme à noite ao relento no mar         
dorme à noite ao relento no mar

E se houver
uma praça de gente madura
e uma estátua
e uma estátua de de febre a arder  

Anda alguém
pela noite de breu à procura
e não há quem lhe queira valer
e não há quem lhe queira valer

Vejam bem
daquele homem a fraca figura
desbravando os caminhos do pão
desbravando os caminhos do pão    

E se houver
uma praça de gente madura
ninguém vem  levantá-lo do chão
ninguém vem  levantá-lo do chão

Vejam bem
que não há só gaivotas em terra
quando um homem
quando um homem se põe a pensar

Quem lá vem
dorme à noite ao relento na areia
dorme à noite ao relento no mar
dorme à noite ao relento no mar

Ven bien/  que no sólo hay gaviotas en tierra/  cuando un hombre se pone a pensar/ cuando un hombre si pone a pensar.//  Quién viene allí/  duerme la noche al relente en la arena/  duerme la noche al relento en el mar/ duerme la noche al relento en el mar/ Y si hubiera/ una plaza de gente madura/ y una estatua/ y una estatua ardiendo de fiebre// Anda alguien/ por la noche de brea a la búsqueda/ y no hay quien le quiera hacer valer.// Ven bien/ de aquel hombre la flaca figura/ explorando los caminos del pan.// Y si hubiera/ una plaza de gente madura/nadie viene a levantarlo del suelo…

José Afonso

texto extraído de Associação José Afonso

A %d blogueros les gusta esto: